domingo, agosto 17, 2008

Sobre o projeto nacional

Alguns assuntos são tão absurdos que é até deprimente perder tempo pensando neles. Mas, como foi resumido no post do Economia e Capitalismo, segundo Paulo Nogueira Batista Jr.:

“o ensino e a prática da economia no Brasil ainda são dominados pela aceitação acrítica, passiva de modelos importados, sobretudo dos Estados Unidos. Os economistas converteram-se, assim, em um obstáculo não-desprezível à consolidação de um projeto nacional

Acho que a resposta óbvia é que o governo que este economista representa adota um modelo de gestão macroeconômica totalmente ortodoxo (metas de inflação, etc. ), que foi herdado do governo anterior e intensificado neste governo (o mesmo não se pode dizer da política microeconômica, que é um desastre). E não se pode negar que o bom momento da economia brasileira está relacionado a manutenção deste modelo. Pelo que conheço todas as ferramentas de análise econômica utilizadas pelo Banco Central do Brasil são ortodoxas.
A estabilidade na economia pode ser explicada pelo fato que se abandonaram as infames tentativas heterodoxas de um projeto nacional. Que tal lembrar do plano cruzado, congelamento de preços, controle de importações, reserva de mercado e outras pérolas do pensamento econômico brasileiro? E lembrar do enorme fracasso de todas estas idéias?

Acho que ao invés desta idéia absurda de um "pensamento econômico brasileiro", eu sinceramente prefiro que nossos economistas sejam mais influentes no pensamento econômico mundial. Nosso país precisa de mais pesquisadores como José Scheinkman, Rodrigo Soares, Paulo Klinger Monteiro e todos aqueles que contribuem de forma relevante para a pesquisa econômica e se tornam referência em suas áreas de pesquisa.

3 Comments:

Blogger Joao Melo said...

Laurini, muita coisa tem que ser feita. Porém, retornar a idéias da época de 50/60, penso não ser o melhor caminho. E qual o erro em copiar o certo, não é verdade? Melhor do que continuar com idéias antigas que já obtiveram um resultado ruim. Abraço, JM

6:36 PM  
Blogger Joao Melo said...

Laurini, muita coisa tem que ser feita. Porém, retornar a idéias da época de 50/60, penso não ser o melhor caminho. E qual o erro em copiar o certo, não é verdade? Melhor do que continuar com idéias antigas que já obtiveram um resultado ruim. Abraço, JM

6:36 PM  
Blogger ph said...

Caríssimo, também precisamos de uma Física própria para um país latino-americano como o Brasil, em vez da Física burguesa dos yankess. Piada? Nem tanto. É só lembrar de Lysenko e sua tentativa de criar uma biologia (genética) soviética, m contraposição à mendeliana. O problema é que os esquerdistas acham que deve haver uma Economia em cada país. A lógica dos mercados de capitais daqui é diferente da dos de outros países. Ah, esqueci que falar em mercado de capitais é heresia!
parabéns pelo blog
ph

5:38 PM  

Postar um comentário

<< Home