quinta-feira, novembro 15, 2007

Já era esperado

A pior coisa deste governo é que todas as suas ações são tristemente previsíveis. A demissão dos economistas do Ipea era tão esperada, tão óbvia, que talvem não tenha o impacto necessário. E nosso presidente fala em democracia.
Tive todos os meus pecados passados e presentes perdoados por ter feito graduação na escola do presidente atual do Ipea. Felizmente existiam alguns bons professores lá. Lembro que fui assistir uma defesa de tese de doutorado orientada por um dos poucos bons professores de lá. Era algo sobre endogeneidade da moeda, e como a tese tinha uma visão diferente da defendida por outro professor da mesma instituição, o orientador chamou este outro professor para fazer parte da banca, e assim estimular o debate. Quanta ingenuidade.
Um ponto importante é que este professor que foi chamado para a banca tinha um discurso de defesa da "pluralidade" no pensamento econômico.
A defesa da tese foi surreal. O professor citado, como era membro interno, foi o primeiro a falar. E começa com algo assim - "Eu vou lhe reprovar, você é arrogante, como pode ter uma visão diferente da minha? Sua tese é uma das piores coisas que eu já vi, etc". Os demais membros da banca ficaram chocados. E todos eles depois disseram que a tese era de altíssima qualidade. O candidato foi aprovado, mas a situação foi bizarra.
Por isso a demissão dos economistas do Ipea não me surpreende nada.
E o pior ainda está por vir.

1 Comments:

Blogger adailton said...

Qual o caminho que o Brasil esta trilhando com esse governo? Afastarnos pessoas porque divergem de nosso pensamento é trasformar o Brasil em uma Venezula e promover o Presidente LULA em ditador, dono e unico ocupante com voz astiva e aceita no pais. Nós economista precisamos ter cuidado com o que vem por ai. Os que nao concordam com a linha governista do " Nunca na historia desse pais..." pelo andar da carruagem serão mandados para os porões , serao condenados como unicos mandantes e responsaveis pelo desenvolvimento pífio da economia, pela derrota do " Fome Zero " e pela total inercia do " Plano de Aceleração do Desenvolvimento". Nós economistas devemos observar e combater veementemente esse tipo de crime contra a democracia.

ADAILTON LEANDRO - ECONOMISTA

10:23 AM  

Postar um comentário

<< Home