sábado, agosto 23, 2014

DSGE Models for Brazil: SAMBA and beyond - Impressões



O evento sobre DSGE foi bem legal. Esse esquema de conferências pequenas funciona muito bem, e a interação é bem maior. De forma geral todas as apresentações foram boas, e cada uma apresentou aspectos diferentes da modelagem com DSGE, especialmente as limitações e o mecanismo de construção prática desses modelos. Valeu a pena ter ido. Também encontrei vários amigos, e foi uma das melhores visitas a São Paulo depois que mudei.

Minha única reclamação é sobre o nome usado para o modelo DSGE de larga escala do BC -Samba. Cada vez que essa palavra amaldiçoada eram invocada eu tinha medo que um grupo aparecesse batucando.  Para me descontaminar precisei de uma visita ao Café Piu Piu para ouvir a boa música de fato.

2 Comments:

Blogger Angelo Marsiglia Fasolo said...

Além dos trocadilhos infames, este é o motivo pelo qual eu só me refiro ao modelo como "o modelo", ao invés do seu nome... rsrsrs

Abraços!

8:48 AM  
Blogger Flávio Dias said...

kkkkk

muito boa!!

podiam chamar o modelo de METAL!!!

só um comentário: estou longe de dominar a matematica dos DSGE, no entanto, domino econometria e matematica o suficiente para perceber que muita gente ai q faz DSGE não tem a menor noção do que está acontecendo por de trás das rotinas do DYNARE....


acho legal um suplmento como o DYNARE, mas isso ta criando um monte de apertadores de botão por ai....


Só como exemplo, um dos principais novos construtores de DSGE no Brasil já me disse uma vez que estatística Bayesiana é melhor que a clássica porque usa o teorema de Bayes.

Vejo com um pouco de receio a popularização de um método tão complexo.

7:43 PM  

Postar um comentário

<< Home