terça-feira, dezembro 16, 2008

Estudando econometria no Brasil

Respondendo a pergunta do Guilherme (e expandindo um pouco) sobre quais bons lugares para se estudar econometria no Brasil. Não existe uma resposta completa sobre essa pergunta, e depende bastante de qual o objetivo do estudo.
Se sua origem não é da área de economia, acho que um mestrado em economia é um bom passo inicial. Embora econometria (principalmente a teórica) envolva uma formação matemática sólida, o uso da econometria sem uma boa base econômica pode ser bastante complicado. Se o objetivo é econometria mais aplicada, então essa formação é bastante importante.
Como muito da econometria interessante atualmente é ligada como modelos estruturais, modelos de tratamento dinâmico, dynamic stochastic general equilibrium, etc, uma boa base de economia pode ser importante. Aí a escolha depende muita da área. Acho que a melhor formação geral em econometria hoje é na EPGE, e na minha opinião contém o melhor track de cursos. A Puc-Rio tem uma grande vantagem, que é além dos grande número de pesquisadores em microeconometria, os cursos do Departamento de Engenharia Elétrica (Grupo de Controle, Estatística e Otimização) que é um grupo de altíssimo nível. Fora estas escolhas clássicas eu lembraria do mestrado em economia aplicada da Ufrgs, que tem uma tradição de econometria aplicada e uma ligação com os pesquisadores em Estatística da Ufrgs, que são um grupo de alto nível em séries temporais, métodos bayesianos e não-paramétricos, e o mestrado da FGV-SP, que agora tem um grupo muito forte em econometria.
O mestrado/doutorado em estatística é uma excelente idéia para quem já tem uma boa formação em econometria de cursos de economia e pretende se aprimorar em probabilidade e inferência (e acreditem, o gap é enorme). O IME-USP tem um curso excelente em basicamente todas as áreas de estatística. A estatística da Ufrj é uma referência em métodos bayesianos e valores extremos. A estatística da Unicamp tem um grupo excelente em métodos não-paramétricos e séries temporais, e não se pode esquecer do curso da UFPE, que é de altíssimo nível em estatística teórica e computacional.
O problema da pós-graduação em estatística é que alguns temas quentes de econometria são raramente abordados nestes cursos, como por exemplo Método de Momentos Generalizados e modelos de treatmente effect a la Heckman. Mas outras áreas como Markov Chain Monte Carlo, Métodos Assintóticos ou métodos não-paramétricos são raramente abordados com profundidade em cursos de economia, então se o interesse é nessas áreas não existe muita escolha.
Um problema é que um mestrado ou doutorado em estatística possui um requisito de matemática bem maior que os cursos em economia, e em geral os alunos de economia vão ter uma enorme ralação pela frente. Minha opinião pessoal é que a escolha vale a pena, mas serão muitos dias de angústia e incerteza pela frente.
Talvez a receita mais bem sucedida, que normalmente para os alunos que fazem um PhD em econometria é fazer os cursos do mestrado em estatística e realizar o PhD em economia tendo como orientador um econometrista. Se o objetivo é trabalhar com teoria econométrica esse parece ser o caminho menos incerto. Para campos mais específicos de econometria um PhD em estatística seja uma melhor escolha.
Em todos os casos alguns cursos são bastante indicados - um curso de probabilidade, um curso de medida e integração, alguma formação em métodos computacionais, e tentar correr atrás de uma formação básica em inferência. E um bom curso de cálculo avançado vai ter livrar de muitos problemas, acreditem.

PS - Comentário anônimo postado abaixo, que vale destaque:
Na EPGE você pode fazer econometria teórica com o Prof. Marcelo Moreira que tem vários artigos em Econometrica, Microeconometria com o Prof. Luiz Renato, Macroeconometria com o Prof. João Victor Issler, Econometria Financiera com o Prof. Marcelo Fernandes, Finanças Empíricas com o Prof. Caio Ibsen, Tópicos em GMM e Econometria Não Paramétrica com o Prof. Renato Flores. Também tem Teoria da Medida e Cálculo Estocásticos com o Prof. Paulo Klinger. Eu acho que assim, é o melhor Departamento de Econometria do Brasil. Tudo isso alem dos cursos do “core” do programa: Analise Matemático I e II, Estatística I e II, e Econometria I e II.







4 Comments:

Blogger Erik Figueiredo said...

Bela resposta!

No exterior, quais serão as grandes escolas para se aprender econometria?

Abraços,

10:11 AM  
Anonymous Anônimo said...

Na EPGE você pode fazer econometria teórica com o Prof. Marcelo Moreira que tem vários artigos em Ecometrica, Microeconometria com o Prof. Luiz Renato, Macroeconometria com o Prof. João Victor Issler, Econometria Financiera com o Prof. Marcelo Fernandes, Finanças Empíricas com o Prof. Caio Ibsen, Tópicos em GMM e Econometria Não Paramétrica com o Prof. Renato Flores. Também tem Teoria da Media e Cálculo Estocásticos com o Prof. Paulo Klinger. Eu acho que assim, é o melhor Departamento de Econometria do Brasil. Tudo isso alem dos cursos do “core” do programa: Analise Matemático I e II, Estatística I e II, e Econometria I e II.

10:47 AM  
Blogger Bruno Estrella said...

Antes de tudo gostaria de parabenizar-lo pelo excelente blog. Minha formação é em economia com mestrado em economia internacional e mestrado profissionalizante em mercado financeiro. Estou aproveitando a minha facilidade em estatística e econometria para mudar de área estou me voltando para a Modelagem estatística e econométrica em finanças a sua postagem e outras do seu blog tem sido de grande ajuda. Gostaria de saber se suas dicas ainda são válidas mesmo após 5 anos ?

1:42 PM  
Blogger Márcio Laurini said...

Bruno

Acho que sim. A única mudança nesse período foi um fortalecimento adicional da EESP.

5:07 PM  

Postar um comentário

<< Home