quarta-feira, julho 29, 2009

Ainda essa discussão ...

As vezes fico surpreso de que ainda exista esta discussão sobre ortodoxia x heterodoxia (ou pluralismo. Ou pós-autismo, ou qualquer nome cretino que se invente para isso). Nem como assunto de discussão de boteco em dia de chuva isso serve mais. Como colocaram muito bem os jovens estudantes da puc, o que importa é boa ou má pesquisa econômica.
Agora o debate chega ao nível de se perder tempo criticando a falta de pluralismo dos manuais de economia:

Em seu artigo, Fullbrook centra baterias nos livros-texto de Nicholas Gregory Mankiw, professor em Harvard, que há vários anos são “bestsellers” internacionais quase absolutos entre estudantes dos cursos de introdução à economia e também de macroeconomia. Mankiw tornou-se uma espécie de Paul Anthony Samuelson de nova geração. O “Economics” de Samuelson, primeiro economista americano a ganhar o Nobel, em 1970, foi o manual de formação dos estudantes da segunda metade do século XX, com milhões de exemplares vendidos. Fullbrook acusa Mankiw e Samuelson de cientismo, apologistas de enquadramento da economia em preceitos científicos de abrangência indiscriminada, entre outros pecados de mácula neoclássica. Cita, a propósito, o fato de que, na fala de agradecimento por sua “coroação” em Estocolmo, Samuelson se referiu quatro vezes a Einstein, duas vezes ao físico dinamarquês Niels Henrik David Bohr e a outros oito ganhadores do Nobel de física, além de Newton “e alguns outros nomes, como se fossem parte de sua família”.

Essa me chocou. O Samuelson é criticado por se referir a Eistein, Bohr e Newton no seu agradecimento no Nobel ? Meu deus, isso é inacreditável. E piora depois. Só faltou dizer que temos que esquecer as contribuições do Eistein porque ele não dava aulas em Princeton e se concentrava em pesquisa.
Jovens, não percam seu tempo. Isso não é nem uma discussão sobre metodologia. Isso é apenas uma forma desesperada de atrair alguma atenção.

3 Comments:

Blogger Claudio said...

Rosa Luxemburgo, Lenin, Marx...pode.

Einstein, nao.

Amazing este pluralismo pterodoxo!

4:42 PM  
Blogger JOÃO MELO said...

Hoje em dia, para "aparecer" na mídia, tem gente que é capaz de falar que esteve na crucificação de Jesus e ainda ajudou a pregá-lo na cruz.
Esses dois manuais são admirados em minha geração e, acredito, serão também lidos na próxima.
Abraço,
João Melo, direto da selva

8:04 PM  
Blogger Cibele Bastos said...

Cada aluno q estude pelo "manual" que mais lhe convém ou q se mostrou didatico pra ele. Penso assim.
Nada melhor do q abrir um livro q explique algo da maneira mais clara possivel.

=***

10:32 AM  

Postar um comentário

<< Home