sábado, agosto 09, 2008

Matemática para economistas

Gustibus aborda o problema do ensino capenga de matemática nos cursos de economia. Bom, é óbvio que aqui no Brasil o problema é pior. Além do problema da doutrinação, heterodoxia , etc temos o problema da formação básica em matemática, que é , usando uma palavra polida, um lixo aqui no Brasil. E tende a piorar, já que o currículo básico é cada vez mais entupido de outras coisas. Não dá para comparar a formação em matemática brasileira com países como Rússia, China, Polônia, etc (nisso temos que dar o braço a torcer para os países ex-socialistas). Mesmo em boa parte dos nossos vizinhos da américa latina o ensino de matemática é muito melhor. Como exemplo só lembrar a lista de excelentes matemáticos e estatísticos latino-americanos.

As necessidades matemáticas em atuais economia são muito mais sofisticadas, o que é um elogio a ciência econômica. Um sinal de maturidade. Mas a formação básica está longe do ideal. Como um exemplo é fácil notar que basicamente todas as inovações em finanças matemáticas (como por exemplo o Libor Market Model, o problema de consistência em modelos de juros, todas as recentes provas da existência de não-arbitragem para processos fora da família de semi-martingales) são feitas por matemáticos , e em geral por matemáticos não-americanos ou ingleses.
Quando decidi fazer o doutorado na Estatística, o objetivo básico era melhora minha formação em probabilidade e inferência. Uma decisão que acho cada vez mais absolutamente correta. (embora cada vez mais eu veja o quanto falta para aprender). Neste semestre estou assistindo um curso do doutorado em matemática, e é absolutamente brutal o quanto os alunos da matemática são melhores.

PS - Aposto que em vários lugares neste instante algumas pessoas continuarão a afirmar que não se deve usar matemática em economia, o velho papinho heterodoxo. Será que estas pessoas não cansam do mesmo discurso ? e não enjoam de estudar sempre os mesmos textos ? Será que no fundo não sentem falta de aprender alguma coisa nova ? Isso sinceramente me espanta.



3 Comments:

Blogger Joao Melo said...

Márcio, anos atrás quando começei meu curso de Economia, eu não entendia o motivo da Matemática. Eu estava mais para um Celso Furtado do que para um M.H.Simonsen. Hoje, depois ficar feliz por conhecer um pouquinho de Econometria, sinto que deveria ter tido muitas e muitas aulas de Matemática.
Seu post também é assinado por este sempre aluno.
Abração,
João Melo

10:17 PM  
Blogger .Cibele bastos said...

Eu é q sei viu Laurini... minha base em matemática é fraca³³! Em toda a minha vida só tive 1 professor que motivava os alunos no aprendizado da disciplina! Todos os outros já iniciavam as aulas com o mesmo discurso "bicho-papão".
O negócio é tentar suprir toda essa deficiência no estudo diário :)

ps: eles n enjoam de estudar os mesmos textos, ano após ano :T (experiência própria..)

=*

12:26 PM  
Anonymous Anônimo said...

Márcio, eu mesmo tenho uma uma base matemática ruim e quero correr atrás do prejuízo. Só que nem sei por onde começar.

E olha que já tenho um diploma de economia...

A escolha menos dolorosa seria adotar uma postura "matemática não é tão importante assim". Mas sei lá... eu gostaria mesmo é de aprender a usar a matemática, estatística e econometria como ferramentas de trabalho.

4:15 PM  

Postar um comentário

<< Home