terça-feira, outubro 23, 2007

Vácuo

Sábado a noite, no meu intervalo de estudos, fui na FNAC da paulista (a foto abaixo é da saída superior da loja), ver se achava alguma coisa interessante. Acabei comprando os livros do Sieber e do Dahmer, e mais uma coletânea do Kafka e um outro livro do Orwell, mas ainda não li.
Mesmo que não esperasse muita coisa, dei uma passada na seção de Rock. Embora sempre a maior parte dos lançamentos seja lixo, de vez em quando tem alguma reedição interessante. Mas desta vez foi brutal - absolutamente todos os lançamentos eram lixo puro. Eu nem ligo muito para estas bandas de "rock" mtv no Brasil - para mim o público destas é o mesmo público que curte sandy e junior, então entra na categoria infantil-mongo. O pior são as ditas bandas indie(emo)-cults.
O nível de armação destas bandas é inacreditável; eu apostaria que os produtores tem um modelo matemático para desenvolver as características da música e dos membros da banda. como se fosse um modelo de credit scoring. O pior é que são todas iguais, e raramente sobra algo que realmente seja audível. Imagino a cena - o produtor no seu terno Ermenegildo Zegna e dizendo "preciso ganhar mais Z milhões esse mês, monte uma banda de temática depressiva com beta1*angústia Joy Division+beta2*cabelinhos Stokes+beta3*imbelicidade CSS+dummie de país (inglaterra, escócia, etc), e não esqueça do jabá pros 'jornalistas' de rock ". Isso não é nenhuma novidade, mas toda a produção musical ser assim é demais.
Tristes tempos.

1 Comments:

Blogger Chanis said...

Se fosse apenas as armações, até ia. O triste é que inexistem musicos de verdade. Pessoas que nao precisam do afinador digital para acertarem seus instrumentos. As bandas indie-mtv-lucio ribeiro-emo não sabem tocar mesmo. Sinceramente, sinto falta do roque farofa: eram armaçoes tao grandes quanto as atuais, mas eles, pelo menos, eram músicos. Hoje, falta músico para miar a bichana. Bom, num tempo em que cara que troca disco num aparelho é considerado musico, fico minhas bolachas gravadas até 1994. Depois, nenhuma novidade.

12:04 PM  

Postar um comentário

<< Home